Posted on

Em um recorte de quatro dias, o município de Iguatu elevou suas estatísticas do avanço da Covid-19. A reportagem em avaliação dos dados divulgados pela coordenação da vigilância epidemiológica da Secretaria da Saúde de Iguatu percebeu uma alta no número de testagens que é apontada pelas autoridades sanitárias locais como fator diretamente ligado aos diagnósticos positivados de pacientes.

Iguatu completou ontem (sexta-feira, 18) exatos seis meses do primeiro diagnóstico da doença na cidade, que atingiu a marca de 14 mil testagens e ultrapassou os 3 mil infectados com uma média 0,7 paciente infectado diagnosticado por hora.

De segunda-feira, 14, à quinta-feira, 17, a cidade teve uma alta de 89% no número de infectados ativos, saltando de 120 para 227 casos. Nesse mesmo intervalo, a Saúde local testou 270 pessoas, ou seja, 39% dos testes resultaram positivo para a doença.

Atualização

 Na última atualização, 3.041 estão somados ao número de infectados. Cerca de 14.261 testes foram aplicados, e permanecem sob suspeita 1.186 que ainda aguardam os resultados dos testes. A quantidade de pacientes curados é a grande maioria com 90% dos infectados tendo evolução positiva. Porém, o número de óbitos tem sua média mantida para dois casos por semana. A cidade já conta com 77 mortes em decorrência da infecção cuja letalidade do vírus é 2.7%.

UTIs

Iguatu chegou nessa semana também ao seu maior volume de ocupação dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) desde quando teve à disposição as 30 unidades de maneira simultânea. Hoje 80%, 24 pacientes com estado mais agravado da doença, utilizam os serviços mais especializados das três unidades reguladas pelo estado, na linha de frente no enfrentamento da pandemia.

O post Após seis meses do primeiro registro, Iguatu tem quase um infectado por hora apareceu primeiro em Jornal A Praça.